Publicado por: sidnei walter john | 22 de novembro de 2016

Evangelho do dia 26 de novembro sábado


26 novembro – Humilhar-se é um grande remédio contra as tentações. (S 198). São Jose Marello

26-nov-lucas-21-34-36Leitura do santo Evangelho segundo São Lucas 21,34-36

“Cuidado para que vossos corações não fiquem pesados por causa dos excessos, da embriaguez e das preocupações da vida, e esse dia não caia de repente sobre vós, pois cairá como uma armadilha sobre todos os habitantes de toda a terra. Portanto, ficai atentos e orai a todo momento, a fim de conseguirdes escapar de tudo o que deve acontecer e para ficardes de pé diante do Filho do Homem”. 

1º Meditação:

As primeiras comunidades cristãs compartilhavam com outros grupos religiosos contemporâneos idéias apocalípticas.

Acreditavam que as guerras, perseguições e outras catástrofes eram sinais da proximidade do fim do mundo e da segunda vinda do Senhor.

Por esse motivo, muitos viviam perturbados e assustados. Entretanto, essa espera não se concretizava.

A espera foi se alongando e a atenção e os costumes relaxando. O perigo de se deixar levar por outros atrativos que a vida oferece era freqüente.

No texto de hoje, Lucas põe na boca de Jesus palavras dirigidas à comunidade para reavivar a vigilância e a oração constante frente a esta expectativa

Lucas encerra o “discurso escatológico” de Jesus sobre a ruína do Templo e de Jerusalém com as exortações à vigilância e à oração contínua.

São duas atitudes fundamentais na vivência no Reino de Deus, na comunidade e na missão. “Cuidado”, pois muitas são as seduções procurando afastar o discípulo do caminho no seguimento de Jesus.

O evangelista insiste que os cristãos se mantenham em atitude de espera, sem viver em pânico.

Talvez não estejamos vivendo o ambiente que os primeiros cristãos viveram, mas o certo é que o mundo de hoje oferece uma multidão de alternativas que podem nos levar ao ocultamento do sentido da vida cristã.

Em nossos dias é um grande desafio manter sempre a atitude de abertura em relação ao futuro que Deus deseja para nós.

O mercado, que gera lucros fabulosos para os donos do poder a partir da exploração dos oprimidos, seduz e ilude as pessoas prometendo-lhes enriquecimento e oferecendo-lhes sofisticados produtos para o consumo.

O empenho em usufruir da sociedade de mercado escraviza, torna o coração pesado e individualista, devido a preocupação com o gozo e o sucesso pessoal. Portanto, “cuidado… vigiai e orai a todo momento”.

Vigiar é cuidar de preservar sua liberdade e estar atento às necessidades dos pobres e dos oprimidos, procurando libertá-los das estruturas e dos mecanismos de dominação que os exploram.

A oração contínua é a oração do coração, a oração do compromisso, a oração em comunidade. A oração é estar em presença de Deus, identificando-se com sua vontade e buscando luzes e forças para a realizar.

Assim encerra-se hoje o ano litúrgico. Com o início do Advento, outro ano se segue, envolvendo, dia a dia, nossos corações no seguimento de Jesus.

1º Reflexão Apostólica:

O Senhor nos faz um alerta para que não nos envolvamos com coisas desse mundo, sempre tem algo no mundo que é como uma onda que sempre vem e tenta envolver os cristãos.

Ondas como o carnaval, política, jogo de futebol, natal etc. Isso tudo nos tenta a desviar da verdade que é a palavra do Senhor e de Sua presença.

Tomai cuidado”, são palavras de Jesus para nós nos dias de hoje. Nós sabemos o quanto o nosso coração se envolve com as coisas “boas” desta vida!

A gula, a embriaguez e as preocupações da vida, representam aqui tudo o que nos desvia do caminho que nos leva ao encontro do Senhor que vem. Sabemos que estas obras nos tornam insensíveis diante das coisas de Deus.

Muitas vezes estamos tão “ocupados” com os nossos sucessos ou fracassos, com as ações que nos deleitam e dão prazer, que esquecemos de que isso tudo nos traz apenas uma felicidade transitória e de que o essencial para a nossa vida não muda. Apenas evolui, prospera e concretiza-se.

O essencial é o amor de Deus que é plantado em nós como uma semente que cresce e torna-se uma grande árvore.

Quando nos entregamos somente aos prazeres e afazeres do mundo o nosso coração fica insensível e o amor de Deus em nós é sufocado.

O comer, o beber, o trabalhar, o divertir-se, o comprar, o gozar a vida são até certo ponto coisas lícitas. Porém são armadilhas para nós quando nos deixamos aprisionar por elas.

De repente, as coisas acontecem e nós perdemos o rumo, deixamos a graça de Deus passar e nos sentimos arruinados (as).

Jesus veio nos ensinar: “ficai atentos e orai a todo momento!”. A oração é o meio mais eficaz para que tenhamos força para escapar dessas coisas e fiquemos de pé, livres diante de Deus.

Como tem sido o seu comer e o seu beber? Eles são armadilhas para você? O que pode estar o (a) aprisionando hoje com a vida que você leva? Você é uma pessoa livre de você mesmo (a)?

2º Meditação: 

Estamos chegando ao final do longo discurso apocalíptico e também ao fim do ano litúrgico. Jesus apresenta um último conselho, convidando-os à vigilância (Lc 21,34-35) e à oração (Lc 21,36).

A demora da vinda do Senhor pode ter como efeito, no coração do discípulo, uma espécie de torpor espiritual, que o leva a viver sem esperança no futuro, e sem criatividade no presente. Jesus quis manter viva, no discípulo, a chama da esperança, de forma a impedi-lo de enveredar-se pelo caminho da busca desenfreada de prazeres mundanos e de limitar-se a preocupações mesquinhas centradas em coisas irrelevantes.

Vigilância e oração seriam a forma de manter viva a esperança. A vigilância confronta continuamente o discípulo com as realidades escatológicas, não permitindo que ele ceda à tentação de acomodar-se e levar uma vida medíocre. Essa vigilância apresenta-lhe as exigências atuais do Reino como pré-condição para ser acolhido no Reino definitivo, e o move a viver conformando sua vida com elas.

A oração, por sua vez, faz o discípulo viver em comunhão com o Senhor que vem. Ou seja, já no presente, o discípulo orante experimenta a comunhão que, no futuro, se plenificará. Este íntimo relacionamento com o Senhor reflete-se na vigilância. O discípulo orante tudo fará para ser fiel ao Senhor e ao seu Reino. A oração leva-o a ter uma atenção redobrada, para não perder de vista o Senhor que vem. Leva-o, também, a antecipar as alegrias do Reino.

Jesus pede vigilância para não deixarmo-nos surpreender pelos eventos. Como vivo este conselho de Jesus? O último conselho de Jesus, no final deste ano litúrgico é este: Vigiai e rezai a cada momento. Como vivo este conselho de Jesus na minha vida?

2º Reflexão Apostólica:

“Tomai cuidado”, são palavras de Jesus para nós nos dias de hoje. Nós sabemos o quanto o nosso coração se envolve com as coisas “boas” desta vida!

A gula, a embriaguez e as preocupações da vida, representam aqui tudo o que nos desvia do caminho que nos leva ao encontro do Senhor que vem. Sabemos que estas obras nos tornam insensíveis diante das coisas de Deus.

Muitas vezes estamos tão “ocupados” com os nossos sucessos ou fracassos, com as ações que nos deleitam e dão prazer, que esquecemos de que isso tudo nos traz apenas uma felicidade transitória e de que o essencial para a nossa vida não muda, apenas evolui, prospera e concretiza-se. O essencial é o amor de Deus que é plantado em nós como uma semente que cresce e torna-se uma grande árvore.

Quando nos entregamos somente aos prazeres e afazeres do mundo o nosso coração fica insensível e o amor de Deus em nós é sufocado.

O comer, o beber, o trabalhar, o divertir-se, o comprar, o gozar a vida são até certo ponto coisas lícitas, porém são armadilhas para nós quando nos deixamos aprisionar por elas.

De repente, as coisas acontecem e nós perdemos o rumo, deixamos a graça de Deus passar e nos sentimos arruinados (as). Jesus veio nos ensinar: “ficai atentos e orai a todo momento”! A oração é o meio mais eficaz para que tenhamos força para escapar delas e fiquemos de pé, livres diante de Deus.

Propósito:

Que o Senhor nos dê Sabedoria e que possamos, a cada  dia, nos envolver mais e mais com as coisas preciosas de Cristo. Essa é a função de nós cristãos pregar o Evangelho do Reino em todo mundo. Assim, apressaremos a sua volta. Pai, ajuda-me a estar em permanente vigilância e oração, preparando-me para o encontro com teu Filho Jesus e ser acolhido por ele.


Categorias

%d blogueiros gostam disto: