Publicado por: sidnei walter john | 10 de novembro de 2016

Evangelho do dia 11 de novembro sexta feira


11 novembro – Mostremo-nos tranquilos e serenos, mesmo quando a tempestade enfurece no coração. (S 180). São Jose Marello 

11-nov-lucas-17-26-37Leitura do santo Evangelho segundo São Lucas 17,26-37

Como foi no tempo de Noé, assim também será nos dias de antes da vinda do Filho do Homem. Todos comiam e bebiam, e os homens e as mulheres casavam, até o dia em que Noé entrou na barca. Depois veio o dilúvio e matou todos. A mesma coisa aconteceu no tempo de Ló. Todos comiam e bebiam, compravam e vendiam, plantavam e construíam. No dia em que Ló saiu de Sodoma, choveu do céu fogo e enxofre e matou todos. Assim será o dia em que o Filho do Homem aparecer. Aí quem estiver em cima da sua casa, no terraço, desça, e fuja logo, e não perca tempo entrando na casa para pegar as suas coisas. E quem estiver no campo não volte para casa. Lembrem da mulher de Ló. A pessoa que procura os seus próprios interesses nunca terá a vida verdadeira; mas quem esquece a si mesmo terá a vida verdadeira. Naquela noite duas pessoas estarão dormindo numa mesma cama. Eu afirmo a vocês que uma será levada, e a outra, deixada. Duas mulheres estarão moendo trigo juntas: uma será levada, e a outra, deixada. [Naquele dia, dois homens estarão trabalhando na fazenda: um será levado, e o outro, deixado.]
Então os discípulos perguntaram:
– Senhor, onde vai ser isso?
Ele respondeu:
– Onde estiver o corpo de um morto, aí se ajuntarão os urubus.
  

Meditação:

O Evangelho de hoje não é o tipo de leitura que poderíamos chamar de agradável, mas é um Evangelho necessário.

Depois de já ter falado, de várias formas, que o Reino de Deus está próximo, e tantas pessoas ainda fazerem de conta que não estão ouvindo, chega um momento em que é necessário ser mais direto, e é isso que Jesus faz…

Profetiza como será a sua segunda vinda, a qual são João, anos depois, descreve no Apocalipse com todos os detalhes…

Nestes 12 versículos de hoje, existe um que resume toda a mensagem, e é a pista que devemos seguir para fazermos parte do time dos escolhidos de Deus.

É o versículo 33: “Quem procura ganhar a sua vida vai perdê-la; e quem a perde, vai conservá-la.”

Quem passa a vida inteira preocupado em aproveitar a vida com os prazeres mundanos, esquecendo-se do Amor, vai viver sempre vazio.

Existe um espaço no nosso coração que somente Deus pode ocupar… e quem dedica a sua vida a preencher esse vazio com o Amor de Deus, vai conservar a sua vida… e quando Jesus voltar, esse sim será feliz, pois fará parte dos escolhidos do Reino de Deus.

Os discípulos ainda perguntam: “Senhor, onde isso vai acontecer?” É claro que eles queriam saber quais cidades Deus iria destruir, para poder avisar aos que morassem nelas, e depois correr para o outro lado… Só que Jesus dá uma resposta enigmática: “Onde estiver o cadáver, aí estarão os abutres.”

Isso significa que em todos os lugares onde houver alguém que esteja “morto” para Deus, este será morto de fato, e para sempre.

Procuremos, então, aproveitar a nossa vida, sim! Para buscar preenchê-la dia a dia com as graças de Deus. Eis o verdadeiro sentido da vida!

Reflexão Apostólica:

Jesus nos alerta para que estejamos atentos aos Seus sinais e às manifestações de Deus através dos fatos e acontecimentos do nosso dia a dia, aos quais, muitas vezes, nós relevamos e os deixamos passar.

Somos chamados (as) para participar do reino dos céus a todo instante, mas vivemos absortos (as) nos nossos projetos e em suas realizações e nos esquecemos de que a figura desse mundo vai passar.

Erroneamente, nós imaginamos que podemos dar um jeito na nossa vida e, que, na hora H nós podemos fugir de Deus.

Queremos ser independentes e fazer da nossa existência o que a nossa vontade nos apontar.

Entretanto, Jesus vem nos ensinar a estarmos vigilantes porque o reino de Deus acontece em nós a qualquer momento e quem estiver de prontidão, de coração aberto, conseguirá alcançá-lo.

Cada um de nós tem o seu dia e sua hora e as coisas não acontecem em série, nem igualmente para todos, como se fôssemos marcados para o mesmo momento.

As nossas ações, o nosso objetivo, o nosso ideal, nortearão o nosso futuro. “Quem procura ganhar a sua vida vai perdê-la; e quem a perde, vai conservá-la”.

Não podemos fazer justiça com as nossas próprias mãos, nem tampouco são os nossos méritos que nos darão a salvação.

Quanto mais as nossas atitudes forem atos de amor, de confiança e de entrega, mais estaremos perto de alcançar o nosso sonho, que é a vida nova que Jesus veio nos presentear.

O Senhor pode chegar a qualquer momento, e, vivos ou mortos, a Ele pertencemos, portanto, estejamos atentos (as) aos Seus sinais.

Você tem o coração vigilante para que aconteça em você o que Deus quiser? Você se acha uma pessoa boa, merecedora de um bom lugar na vida e também depois, na outra vida? Você percebe os sinais de Deus nos acontecimentos da sua vida?

Justamente com o Reino de Deus, o julgamento do filho do Homem se realiza na história: ele vem para manifestar a verdade da vida de todos.

Essa manifestação do Filho do Homem é sempre momento grave e decisivo: dele depende a salvação ou a destruição de cada um.

Devemos ter plena consciência que Sua presença entre nós se dá, hoje, entre aqueles que lutam pela justiça no mundo em que vivemos, no empenho de que todos tenham vida plena. Serão salvos somente aqueles que, como Jesus, fazem da própria vida dom para os outros.

Os acomodados serão tragados pelo dilúvio do mercado global que corrompe e seduz, aprisionando-os na malha de uma estrutura que despreza a vida.

Propósito:

Pai, dá-me suficiente sensatez para não buscar segurança e salvação nos bens deste mundo, pois só as encontro junto de ti, na obediência fiel à tua vontade.

2º Meditação:

Está preparado o banquete da Eucaristia e o banquete eterno. Seria este o título da homilia de hoje. Jesus deixou aos discípulos o sinal do pão e do vinho na última Ceia e anunciou-lhes que havia de participar com eles do banquete no reino de seu Pai. Neste texto de hoje se fala do reino, do banquete e da preparação indispensável para não ser excluído.

Em cada Eucaristia nós dizemos. «Vem, Senhor Jesus». Pedimos a sua vinda, mas não nos podemos esquecer da preparação para essa chegada e perder o tempo de se preparar. Eis uma advertência de permanente atualidade. Neste tempo em que as preocupações do material fazem esquecer o essencial, o espiritual, a advertência do Evangelho tem permanente atualidade.

Deus nos chama a atenção. A Igreja dá-nos oportunidade e Jesus Cristo avisa-nos para não cair na tentação do desleixo. Para possuir a sabedoria e saber estar preparado.

Cada Eucaristia antecipa sacramentalmente esta caminhada para a sala das núpcias. A Eucaristia é a grande preparação para o banquete do Reino.

São Paulo afirma a fé na ressurreição e anima todos os crentes na certeza de que na ressurreição «Deus levará com Jesus aqueles que tiverem morrido em união com Ele».

É a vitória da vida sobre a morte, é aquilo que todo o ser humano deseja que Paulo nos anuncia. E com toda a Igreja professamos: creio na vida do mundo que há-de vir, a vida em Deus só o Espírito Santo a pode dar. Mas tudo isso só será possível se nós estivermos sempre preparados. Aliás, diz o ditado: O futuro só a Deus pertence. É dever de todo o homem de fé esperá-lo e prepará-lo com prudência.

O presente é o momento ideal para adquirir tudo quanto desejaríamos possuir na hora da chegada do Esposo. Deus é o ponto de chegada da nossa existência valorizada aqui e agora pelos nossos propósitos e ações, atitudes e comportamentos.

Quando Jesus se apresentou a pregar o Reino, anunciou que ele está próximo. Hoje a pregação de Jesus é idêntica, os destinatários são os homens do nosso tempo, sou eu, é você, somos cada um de nós.

Meditar e viver agora o que quereríamos ter feito amanhã, eis o projeto e o programa a executar. O futuro prometido por Deus deve ser preparado por cada um dos cristãos, homens e mulheres da Igreja que escutam e meditam a palavra divina, quer individualmente, quer inseridos nas pastorais.

É fundamental que sejamos já aqui e agora homens novos, virgens prudentes, de lâmpada acesa, de modo a evitar portas fechadas no momento da entrada para o banquete. Saiba que vivemos em um mundo que oferece sérios riscos e quedas, que se repetem ao lado da evolução tecnológica ou simplesmente da hipermodernidade.

Não se esqueça que você é o agente da história hoje. A advertência que nos faz o Evangelho é incentivo para todos, porque o Senhor é o «fim da história humana».

Ele é a garantia de que nossa história pode ser construída de forma positiva com a sua ajuda. A presença de Cristo na história é constante, exigente e eficaz. É estímulo e motivo de esperança, única garantia da edificação do Reino, do homem novo e do mundo novo.

Jesus nos alerta para que estejamos atentos aos Seus sinais e às manifestações de Deus por meio dos fatos e acontecimentos do nosso dia a dia, aos quais, muitas vezes, nós relevamos e os deixamos passar.

Somos chamados (as) para participar do reino dos céus a todo instante, mas vivemos absortos (as) nos nossos projetos e realizações e nos esquecemos de que a figura desse mundo vai passar e que a qualquer momento nós poderemos ser intimados por Deus a repensar a nossa vida.

Erroneamente nós imaginamos que podemos dar um jeito na nossa vida e, que, na hora H nós podemos fugir de Deus. Queremos ser independentes e fazer da nossa existência o que a nossa vontade nos apontar.

Jesus vem nos ensinar a estar vigilantes porque o reino de Deus acontece em nós a qualquer momento e quem estiver de prontidão, de coração aberto, conseguirá alcançá-lo.

2º Reflexão Apostólica:

E os mortos-vivos? O que será deles? Quem são eles?

“(…) A pessoa que procura os seus próprios interesses nunca terá a vida verdadeira”.

São “mortos-vivos” os que perambulam por todo lugar sem um objetivo maior a sua frente. NÃO são eles os mendigos, os pedintes, mas os que se apegam a carros, casas, fazendas, grifes, cargos, chefias, (…) São aqueles que fazem lobbies para serem eleitos para cargos eletivos ou de liderança de massas (prefeito, vereadores, governadores, deputados… e até mesmo no trabalho, na comunidade). Aqueles que PREFEREM NÃO OUVIR quem mais precisa (às vezes usam até o nome de Deus); fecham seus olhos aos seus defeitos, mas se aguçam a procurar o dos que discordam do seu “modelo” e tristemente “(…) Onde estiver o corpo de um morto, aí se ajuntarão os urubus“.

Fico muito triste quando vejo os urubus (às vezes somos nós mesmos) atestando os atos dos mortos-vivos! Pois de certa forma ao calarmos estamos consistindo, consciente ou inconscientemente, o gesto incorreto e pior que isso, dando argumentos para novos “seguidores”.

Dura é a realidade: Só existe ainda propina (pagamento ilícito), pois sempre tem alguém a querer pagar; acabam-se as locadoras de DVD, pois justifica-se que é um serviço caro locar um filme original; o consumo e o tráfico de drogas só existem, pois alguém o alimenta comprando uma “cabecinha”; a menina ou o menino que não deixam a prostituição, pois se recusam perder os luxos a receber um salário mínimo por mês num emprego qualquer; que prefiro colocar a culpa da falta de programas de saúde, emprego e educação no governo, nos políticos que eu mesmo ajudei eleger em troca de um cargo comissionado, por um privilégio, por um botijão de gás… Estamos sempre querendo levar alguma vantagem.

Verdade Senhor! “(…) Onde estiver o corpo de um morto, aí se ajuntarão os urubus“.

Esses “mortos-vivos fazem tudo isso e depois tem a capacidade de ir a frente das pessoas para novamente ludibriá-las, enganá-las, fazendo cara de bom moço, passando-se por ingênuos, inocentes, usando assim do sentimento bom que temos… Isso vai durar até o momento que vem o dilúvio…

Outro ponto: Imagino o desespero das pessoas que vêem repentinamente a água subir e ver as portas da arca fechadas.

Diferentemente do episódio bíblico, devemos estar prontos e amadurecidos para abrir as portas e recebê-los de volta enquanto a água não sobe, pois cabe somente a Deus dizer quem fica e quem vai.

Esse que vem bater à porta da arca pode ser seu irmão que se arrependeu e pede abrigo; o filho que pelo vício do álcool ou das drogas pede ajuda; a filha adolescente gestante de outro guri; o nosso maior desafeto de trabalho vivendo um difícil momento ou em profunda depressão (…)

Sabe, acredito que talvez sejam nessas horas, que parece que ninguém esta vendo, que o Senhor de fato, repara o quanto mudamos, o quanto somos verdadeiros, bons, obedientes, (…)

Cada um de nós tem o seu dia e sua hora e as coisas não acontecem em série, nem igualmente para todos, como se fôssemos marcados para o mesmo momento.

As nossas ações, o nosso objetivo, o nosso ideal, nortearão o nosso futuro. “Quem procura ganhar a sua vida vai perdê-la; e quem a perde, vai conservá-la”.

Não podemos fazer justiça com as nossas próprias mãos, nem tampouco são os nossos méritos que nos darão a salvação.

Quanto mais as nossas atitudes forem atos de amor, de confiança e de entrega, mais estaremos perto de alcançar o nosso sonho, que é a vida nova que Jesus veio nos presentear.

O Senhor pode chegar a qualquer momento, e, vivos ou mortos, a Ele pertencemos, portanto, estejamos atentos (as) aos Seus sinais.

Você tem o coração vigilante para que aconteça em você o que Deus quiser? Você se acha uma pessoa boa, merecedora de um bom lugar na vida e também depois, na outra vida? Você percebe os sinais de Deus nos acontecimentos da sua vida?

O professor Felipe Aquino diz: “(…) Ser fiel a Deus é ser obediente às suas leis, à sua vontade, e servir-lhe com toda a alma. Santo Inácio de Loyola afirmava que viver bem é amar e servir a Deus nesta vida. Jesus disse aos Apóstolos na última Ceia: ‘Se me amais, guardareis os meus mandamentos’ (Jo 14,15). Portanto, amar a Deus, mais do que um sentimento, é uma decisão: guardar os seus mandamentos, cumprir a sua vontade”.

Precisamos nos empenhar em pelo menos não sermos hipócritas. Que pelos nossos gestos verdadeiros consigamos tocar a Deus e como Ló, não voltar e nem olhar para trás.

Abandonemos o quanto antes o que é velho e o que não edifica. Joguemos fora nossas máscaras para com Deus. Despertemos desse sono!

 Discernir

Armando Filho

Cheio do Espírito que habita em mim
Desejo sempre estar ó Senhor
Receber os dons que Tu queres me dar
Ser mais fiel e amar
Porém, além do que já Te pedi
Discernimento me dá
Falsos profetas estão por aí
E eu quero identificar

Pai, eu preciso aprender discernir
Entre o que vem do homem
E o que vem de Ti
Pra não ser enganado
Nos meus dias aqui
Quero poder discernir

Há tantos servos de Cristo Jesus
Cheios da graça, nos campos estão
Às vezes sofrendo grandes provações
Mas sempre em Deus firmes são
Por outro lado eu vejo também
Em meio ao povo Deus
Gente que só visa comércio fazer
Pensando só no que é seu.


Categorias

%d blogueiros gostam disto: