Publicado por: sidnei walter john | 13 de outubro de 2016

Evangelho do dia 14 de outubro sexta feira


14 OUTUBRO – Sabemos por fé que tudo é providencial nesta terra, e essa fé é a vitória que vence o mundo. (L 64). São Jose Marello

14-out-lucas-12-1-7Leitura do santo Evangelho segundo São Lucas 12,1-7

Milhares de pessoas se ajuntaram, de tal maneira que umas pisavam as outras. Então Jesus disse primeiro aos discípulos:
– Cuidado com o fermento dos fariseus, isto é, com a falsidade deles. Tudo o que está coberto vai ser descoberto, e o que está escondido será conhecido. Assim tudo o que vocês disserem na escuridão será ouvido na luz do dia. E tudo o que disserem em segredo, dentro de um quarto fechado, será anunciado abertamente.
Jesus continuou:
– Eu afirmo a vocês, meus amigos: não tenham medo daqueles que matam o corpo, mas depois não podem fazer mais nada. Vou mostrar a vocês de quem devem ter medo: tenham medo de Deus, que, depois de matar o corpo, tem poder para jogar a pessoa no inferno. Sim, repito: tenham medo de Deus.
– Por acaso não é verdade que cinco passarinhos são vendidos por algumas moedinhas? No entanto Deus não esquece nenhum deles. Até os fios dos cabelos de vocês estão todos contados. Não tenham medo, pois vocês valem mais do que muitos passarinhos!  

Meditação:

Em todos os dias anteriores, vimos como Jesus nos adverte sobre a atitude hipócrita das lideranças de sua época. Eles esperam ser saudados em locais públicos, ocupar os primeiros postos e serem reconhecidos como bons, já que tudo neles é aparência externa.

A rejeição da hipocrisia nos convida a falar com franqueza; sem falar apenas para agradar as pessoas. Ao dar testemunho do evangelho, deve-se deixar de lado o temor e falar com clareza. Somente a Deus se deve temer, mas o temor a Deus não é medo e sim reconhecimento de que tudo depende dele.

A primeira coisa exigida por Jesus é a transformação que comece no interior das pessoas. Deus nos olha e nos convida. Ele cuida dos pequeninos, como dos pássaros do campo. Tudo lhe interessa. Portanto, se Deus cuida dos pequeninos, com maior razão vai cuidar de nós, discípulos de Jesus

Após as várias críticas aos comensais, fariseus e legistas, por ocasião de uma refeição em casa de um fariseu, seguem-se as advertências, diante da multidão, sobre a hipocrisia destes fariseus e as perseguições que promoverão.

Com sua doutrina eles se impõem pela aparência de santidade e honra. Há o risco da hipocrisia infiltrar-se na própria comunidade de discípulos.

Os discípulos devem descartar sua doutrina. Nada de manter aparências. Tudo deve ser feito e dito claramente. Devem se entregar confiantes e livres em Deus, dedicados ao anúncio do Reino.

Os discípulos não devem ter medo, porque a missão se baseia na verdade, que põe a descoberto toda a mentira de um sistema social que não mostra a sua verdadeira face.

Os homens podem até matar o corpo dos discípulos, mas não conseguirão tirar-lhes a vida, pois é Deus quem dá e conserva ou tira a vida para sempre. A segurança do discípulo está na promessa: quem é fiel a Jesus, terá Jesus a seu favor diante de Deus.

Diante do nosso mundo contemporâneo, podemos dizer que o Evangelho se torna escândalo porque o mundo não consegue entender a pedagogia de Deus. Muitos não vêem que esse “temor de deus”, não significa um deus mal, mais sim um Deus que é justo e transparente.

Quando Jesus fala advertindo os fariseus é porque ele , conhece a prática farisaica, um dos partidos messiânicos que , tinham falsamente a lei para os outros e viviam na hipocrisia, na mentira.

Jesus dá exemplo das casas da Palestina porque essas casas geralmente tinha terraço em cima, e dava para ouvir o que as pessoas falavam as ocultas dentro de casa.

Jesus está falando, da própria mensagem, Ele aqui está querendo dizer, que é a boa nova que estará escondido, mas que depois todo mundo conhecerá.

Jesus adverte os discípulos para não temer o medo da Morte, mas que tenham medo daquele que tem o poder de lançar a alma no inferno. Aqui a comunidade já experimenta, a perseguição e encoraja os discípulos para que não tenham medo.

Quantos de nós temos medo de anunciar este Messias, a Boa Nova, de sair de nós mesmos, do nosso mundinho e nos lançar em águas mais profundas.

Podemos questionar nossa caminhada de discípulo. Se estamos sendo falsos ou transparentes. Se Deus, que colocamos nas nossas vidas, é aquele do qual nós adoramos.

Só terá sentido comungarmos o Corpo e o Sangue do Senhor, se nos colocarmos à disposição uns dos outros e fugirmos da prática farisaica, que nos conduz, cada vez mais, para longe de Deus.
Reflexão Apostólica:

(…) Tudo o que está coberto vai ser descoberto, e o que está escondido será conhecido.”. Imaginemos o impacto dessa frase sobre nossas vidas essa!?

Muitas vezes acreditamos que estamos sozinhos, que nossos atos não são vistos ou que podemos esconder a verdade aos olhos de quem nos conhece desde o nosso nascimento (Jr 1,5) .

O mesmo canal que esta sempre aberto aos pedidos, também nos monitora. Algum dia já teve a impressão que alguém, até mesmos desconhecidos falaram algo para nós ou perto de nós, que precisávamos ouvir naquele momento?

Já passaram pela situação que alguém lhe alertou antecipadamente sobre algo que viria acontecer e somente após a queda que as fichas caíram?

O canal esta sempre aberto se refere às situações onde o desespero bate à porta e. no silêncio inquieto de um coração contrito ou em pedaços, brota uma oração singela que geralmente começa assim: “Meu Deus me ajuda, o que eu faço?”. E o nosso Senhor, mais rápido que o SEDEX se encarrega de usar o canal mais viável para nos responder.

Um amigo de caminhada certa vez “se achando” ia conduzir um Encontro. No trajeto pedia a Deus que se revelasse em suas palavras. Foi surpreendido imediatamente por uma pomba que “com sua mira laser” o acertou. Talvez uma coincidência, mas naquele momento vendo sua camisa nova repleta de coco de pomba, entendeu duramente a exortação
dos “sepulcros caiados” ou como dizia minha avó: “por fora bela viola, por dentro pão bolorento”.

Ao falar no canal mais viável, podemos nos perguntar por que essa mensagem chegou até nós hoje ou do tipo “faz tempo que não abro esse blog e justamente hoje ele esta falando isso?”.

Engraçado! Fazia um bom tempo que parei de tentar entender o jeito que Deus age… Às vezes, refletindo sobre a vida, temos a impressão que Ele caminha ao nosso lado, mas não o reconhecemos. Com os discípulos de Emaús não foi assim?

Refletindo bem… Será que não era Ele usando a sabedoria da minha mãe ontem? De onde meu (minha) filho (a) tirou aquela compreensão sobre aquele assunto sendo tão novo (a)? Por que meu (minha) amigo (a) falou aquilo pra mim ontem? Por será que estou com uma impressão boa (ou ruim) sobre aquele assunto?

Quando não conseguimos ouvir (principalmente quando não queremos) aí, os recursos que o destino nos oferece, são mais duros. Não é destino, não são motivados por Deus, mas por CONSEQÜÊNCIA de nossa conduta e opções.

Quantas vezes só conseguimos entender os avisos de PARE quando batemos o carro? Quantos outros só notaram a perca ou a ausência quando tiveram que buscar o filho na delegacia? Mas mesmo lá, Ele não se esquece de nós.

Deus se revela a todos. Somos todos preciosos. Duvide de quem disser que Deus o ouve mais que a outro. Que suas orações são mais ouvidas e tal… Quando caímos e vamos ao chão, mesmo por conseqüência do orgulho, da vaidade, (…), Jesus nos dá a mão para levantar enquanto Deus cuida dos joelhos feridos pela queda.

Tenhamos um ótimo fim de semana e um abençoado DOMINGO para aprender com Mateus que devemos dar a Deus o que é de Deus.

Propósito:

Pai, que eu não me deixe encantar por falsos exemplos de piedade. Estejam meus olhos sempre fitos em Jesus, cujo exemplo devo seguir para ser agradável a ti.


Categorias

%d blogueiros gostam disto: