Publicado por: sidnei walter john | 6 de outubro de 2016

Evangelho do dia 7 de outubro sexta feira


dia-de-nossa-senhora-do-rosario_006

07 OUTUBRO  – A simplicidade é uma virtude que, mais do que qualquer outra, nos aproxima, da perfeição do nosso Pai Celeste. (L 76). São Jose Marello

7-out-lucas-1-26-38Leitura do santo Evangelho segundo São Lucas 1,26-38

O anjo Gabriel foi enviado por Deus a Nazaré, a uma virgem prometida em casamento a José. A virgem se chamava Maria. O anjo chegou e disse: “Alegra-te, cheia de graça! O Senhor está contigo”. Ela começou a pensar qual seria o significado da saudação. O anjo disse: “Não tenhas medo, Maria! Encontraste graça junto a Deus. Conceberás e darás à luz um filho, e lhe porás o nome de Jesus”. Maria perguntou: “Como acontecerá isso, se eu não conheço homem?” O anjo respondeu: “O Espírito Santo descerá sobre ti, e o poder do Altíssimo te cobrirá com a sua sombra. Por isso, aquele que vai nascer será chamado santo, Filho de Deus. Também Isabel, tua parenta, concebeu um filho. Este já é o sexto mês daquela que era chamada estéril, pois para Deus nada é impossível”. Maria disse: “Eis aqui a serva do Senhor! Faça-se em mim segundo a tua palavra”. E o anjo retirou-se. 

Meditação:

A saudação do anjo Gabriel surpreendeu Maria. Quem era ela senão uma humilde habitante de Nazaré, cidade sem importância das montanhas da Galiléia?

Mulher sem maiores pretensões do que a de ser fiel a Deus; uma virgem já prometida em casamento a José, mas sem viver conjugalmente com ele, conforme as tradições de seu povo? Afinal, que méritos tinha para ser uma agraciada”, “plena da graça” divina?

Maria estava longe de compreender o projeto de Deus a seu respeito. Sua humildade de mulher simples do interior não lhe permitia pensar grandes coisas a respeito de si mesma.

Quiçá tenha sido este o motivo por que fora escolhida por Deus para ser mãe do Messias. Livre de toda forma de orgulho e auto-suficiência, Maria podia abrir seu coração para receber a graça de Deus que haveria de torná-la templo do Espírito Santo.

Ela tornou-se objeto da atenção divina, no seu anseio de salvar a humanidade. Deus queria contar com alguma pessoa disposta a se tornar “escrava do Senhor”, e permitir que a vontade divina acontecesse em sua vida, sem objeções. Foi para Maria que se voltaram os olhares de Deus!

Tudo quanto o anjo comunicara a Maria era grande demais para o seu entendimento, e superava sua capacidade de pô-lo em prática.

Abriu-se para ela uma perspectiva nova, ao lhe ser prometida a assistência do Espírito Santo. Este seria a força que lhe permitiria levar a bom termo a missão divina que lhe fora comunicada pelo anjo.

O sim de Maria nos oferece um exemplo prático para nos rendermos a um relacionamento com Deus. O amor abnegado é a essência verdadeira da fé e da própria vida.

Deus é capaz de realizar em nós e através de nós aquilo que entendemos como impossível. o apóstolo Paulo escreveu em Efésios “é capaz de fazer infinitamente mais do que tudo o que pedimos ou pensamos”. Deus promete que o impossível será possível àqueles que crerem. Maria é nosso exemplo.

O sim de Maria mostra a confiança no projeto de Deus. A promessa feita através dos profetas, agora vai se realizar na pequena jovem, que com o seu sim, vai se tornar a mãe do salvador.

Nós também somos chamados a todo o momento a dar o nosso sim ao projeto de Deus. Como esta sendo nossa resposta? Um sim sincero e confiante, ou um talvez, quem sabe, mais tarde!!!

Maria deu o seu sim, e deixou que Deus realizasse maravilhas. Assim, também se dermos nosso sim, as maravilhas de Deus podem acontecer através de cada um de nós.

Maria, mãe de nosso salvador e nossa, é a grande estrela da evangelização. Diante de Maria foi colocado o destino da humanidade mediante a salvação.

Maria não foi só a mãe de Jesus ou esposa dedicada;com apenas um sim, ela assumiu perante a humanidade o compromisso de proteger,interceder e cuidar com zelo de mãe dos filhos a ela confiados,primeiro por Deus o seu filho Jesus, e depois todos nós ao pé da cruz sob a dor agonizante de Jesus.

Maria, foi a primeira a impulsionar Jesus em seus milagres;acaso não foi a um pedido de Maria que Ele transformou água em vinho. Sem dúvida, ela foi uma verdadeira intercessora.

Ainda hoje Maria intercede por nós em nossos pedidos;com certeza como ela fez naquele casamento,hoje ela não cruza os braços perante nossas súplicas;ela vem em nosso auxílio.

Quem nega essa verdade desconhece ou não sente os laços de amor firmado entre Deus e a humanidade diante do sim de Maria que nos trouxe o direito da salvação.

Quanto mais nós meditamos sobre esta passagem do Evangelho mais nós nos conscientizamos da grande participação de Maria no Projeto Salvífico do Pai.

Conforme prometera Deus escolheu Aquela de cuja descendência sairia o Salvador dos homens. Porque conhecia as Escrituras e confiava na promessa do Pai, Maria submeteu-se a ação do Espírito Santo e deu o seu Sim a fim de que a humanidade fosse redimida.

O anjo Gabriel anunciou a Maria o advento do Filho do Altíssimo o qual reinaria eternamente, segundo o plano de Deus, sobre toda a humanidade.

As mesmas palavras que o anjo dirigiu à Mãe de Jesus nos são dirigidas também, hoje, quando somos escolhidos (as) para cooperar na edificação do reino de Deus aqui na terra: “Não tenhas medo,…porque encontraste graça diante de Deus”.

Reflexão Apostólica:

No Evangelho de hoje três aspectos chamam a atenção: a Fé de Maria que não questiona a vontade de Deus transmitida pelo anjo, o conteúdo da mensagem do anjo e a obediência expressa na resposta: “Eis a serva do Senhor, faça-se em mim segundo a tua palavra.”

Maria recebeu o dom da divina maternidade porque teve fé e pela fé se torna felizarda. O nascimento de Jesus é obra da intervenção de Deus, pois Maria concebe sem conhecer homem algum. Aquele que vai iniciar nova história surge dentro da história de maneira totalmente inédita.

0 título Filho de Deus, associado à ostentação de poder, foi atribuído aos faraós e a outros chefes de nações ou impérios, além de ao próprio rei Davi.

Muitos discípulos de Jesus se inclinaram a essa interpretação. Jesus, contudo, sempre se colocou em relação de filiação com o Deus Pai, misericordioso e todo amoroso.

Filho de uma jovem pobre e de um carpinteiro, Jesus revela-se como o Filho de Deus humilde e solidário com os pobres e excluídos, aos quais deseja comunicar a vida divina.

Eis a serva do Senhor, faça-se em mim segundo a tua palavra. Palavras muito simples mais que atraem responsabilidade. Pois doravante aquela pobre menina vai ser depositária dos desígnios de Deus. Deus entra no tempo por meio do sim de Maria que se coloca como escrava ao serviço do seu senhor 24 horas por dia.

Maria é um exemplo de humildade e obediência ao Pai. Devemos aprender com Maria a darmos sempre o sim a Deus acolhendo com humildade a Sua vontade sobre nós e nossas comunidades.

Propósito:

Pai, plenifica-me com tua graça, como fizeste com Maria, de forma que eu possa ser fiel como ela ao teu desígnio de salvação para a humanidade. Maria do Sim, ensina-me a dizer e viver o meu sim a Deus.


Categorias

%d blogueiros gostam disto: