Publicado por: sidnei walter john | 6 de setembro de 2016

Evangelho do dia 7 de setembro quarta feira


07 setembro – Quando pudermos fazer resplandecer um raio das alegrias que veem do céu em meio às alegrias terrenas, então o nosso coração ficará mais satisfeito, a nossa felicidade será mais completa. (L 3). São Jose Marello 

7set Lucas 6, 20-26Leitura do santo Evangelho segundo São Lucas 6,20-26

 Jesus olhou para os seus discípulos e disse:
– Felizes são vocês, os pobres, pois o Reino de Deus é de vocês.
– Felizes são vocês que agora têm fome, pois vão ter fartura.
– Felizes são vocês que agora choram, pois vão rir.
– Felizes são vocês quando os odiarem, rejeitarem, insultarem e disserem que vocês são maus por serem seguidores do Filho do Homem. Fiquem felizes e muito alegres quando isso acontecer, pois uma grande recompensa está guardada no céu para vocês. Pois os antepassados dessas pessoas fizeram essas mesmas coisas com os profetas.
– Mas ai de vocês que agora são ricos, pois já tiveram a sua vida boa.
– Ai de vocês que agora têm tudo, pois vão passar fome.
– Ai de vocês que agora estão rindo, pois vão chorar e se lamentar.
– Ai de vocês quando todos os elogiarem, pois os antepassados dessas pessoas também elogiaram os falsos profetas.
  

Meditação:

O evangelho de Lucas oferece sua versão das Bem aventuranças. O texto é muito significativo na tradição neo-testamentária. Ele nutriu as correntes teológicas do terceiro mundo: A opção pelos pobres: a justiça e a liberdade dos humildes de todos os tempos como uma máxima do cristianismo e que fez seu caminho na América Latina.

Na metodologia utilizada pelo mestre, o ensinamento no interior do grupo de discípulos, tendo como referência a situação social, política e cultural, reveste-se de uma importância vital. Olhar a realidade desde a experiência com Deus que Jesus comunica, trará conseqüência que os discípulos terão que assumir. Jesus dá a vida por uma causa.

No evangelho de hoje Jesus inverte a escala de valores dos judeus.  Mais o que é uma escala de valores?  Veja bem. No tempo de Jesus, os judeus assim como hoje, achavam que as coisas que valem mais são os bens materiais, como casa, terrenos fazendas e outras propriedades.

As cinco bem aventuranças são uma contraposição aos cinco ais. O paralelismo indica a tensão que se apresenta entre as duas forças contrapostas: a situação vivida pelo povo que busca Jesus, e a proposta de Deus, seu Reino proclamado alegremente por Jesus e seus discípulos.

Lucas narra quatro bem-aventuranças proclamadas por Jesus, seguidas de quatro “ais” de advertência, diferentemente de Mateus que nos apresenta oito.

Seja como for convém notar que ambos os textos nos situam em cima da montanha onde Jesus escolhe os seus Apóstolos e lhes apresenta o seu programa de ação.

Anuncia-lhes o seu conteúdo: Felizes são vocês, os pobres, pois o Reino de Deus é de vocês. Felizes são vocês que agora têm fome, pois vão ter fartura. Felizes são vocês que agora choram, pois vão rir… Estas palavras foram vida e missão para os Apóstolos, são e o serão para todos os cristãos de hoje e de amanhã.

É nossa missão tornar a sociedade antiga justa e digna, arrancando de seu meio, pela força do Evangelho, a miséria, a injustiça, a fome.

O cristão deve sentir e encontrar prazer e alegria nas perseguições pelo amor a verdade e a justiça do Reino. Pois será grande no céu a sua recompensa.

A promessa é do próprio Jesus: Felizes são vocês quando os odiarem, rejeitarem, insultarem e disserem que vocês são maus por serem seguidores do Filho do Homem. Fiquem felizes e muito alegres quando isso acontecer, pois uma grande recompensa está guardada no céu para vocês.

O cristão deve fazer tudo para derrubar todos os geradores dos males sociais. É preciso que ele dê a conhecer aos grandes que defender a causa do pobre é devolver-lhe a vida e a dignidade e não é a multiplicação de palavras. Porque ele não vive de explicações, filosofias e falação.

Jesus dirigi-se com freqüência à multidão para advertí-la sobre o que está por vir. No texto deste Evangelho se reflete com nitidez este tipo de comunicação. Como Mateus, Lucas nos apresenta uma nova versão das Bem-aventuranças: Felizes vós, os pobres, porque vosso é o reino de Deus…!

“Nova versão” por causa de algumas ligeiras diferenças quanto a ordem de colocações. Se Mateus faz da proclamação das Bem-aventuranças um bloco homogêneo de oito declarações pelo positivo, Lucas nos apresenta dois blocos: um de quatro bem-aventuranças, outro de outras tantas declarações de infelicidade, de imprecações: Mas ai de vocês que agora são ricos, pois já tiveram a sua vida boa.

Podemos dizer que se tratam de blocos opostos: aos pobres opõem-se os ricos; aos que têm fome contrapõem-se os que estão fartos. Além disso, o texto dá grande relevo à anáfora e ao paralelismo.

O paradoxo é bastante comum em S. Lucas e indica uma orientação importante do terceiro Evangelho: o radicalismo da força transformadora da sua mensagem. Há muita coisa desconcertante, inesperada neste Evangelho.

Felizes vós, que agora tendes fome, porque sereis saciados! Saciados por quem? Saciados por Jesus a verdadeira comida e bebida. Aquele que nos abre para os novos tempos e por isso, nos faz firmes e fortes nesta espera. Quem espera no Senhor e não vacila nos momentos de amargura se torna bem-aventurado.

Jesus nos situa na perspectiva dos que buscam encontrar aqui na terra a felicidade seguindo os conselhos evangélicos e mantendo a esperança de um dia encontrá-la. Ser bem aventurado é ser feliz.

Portanto, as bem-aventuranças são estágios de vida que nos levam a ter o prenúncio das coisas celestes, da realidade do Céu.

Quando nós seguimos as sugestões do Evangelho, nós perseguimos a plenitude da felicidade aqui na terra embora o mundo não possa entender.

Ser pobre, passar fome, chorar, ser perseguido, odiado, insultado, amaldiçoado, são situações que, de acordo com a mentalidade do mundo, revelam infelicidade.

Porém, quando vivemos na perspectiva de fazer a vontade de Deus essas coisas que nos acontecem servem de motivação para que nós experimentemos cada vez mais o poder e a força do Senhor na nossa vida.

Ao contrário, as coisas que o mundo prega como lucro, a riqueza, a fartura, o riso fácil, o elogio, passam e não deixam nenhum vestígio de felicidade. É feliz aqui quem já espera a realização das promessas de Deus que plenamente serão cumpridas no Céu.

O próprio Jesus nos garante: “Alegrai-vos e exultai, pois será grande a vossa recompensa no Céu”. A expectativa de que um dia contemplaremos a Deus e alcançaremos a plena felicidade, já é um motivo para que sejamos felizes aqui.

Você já meditou sobre as bem-aventuranças? Com qual bem-aventurança você mais se identifica? É feliz mesmo quando as coisas para você não sejam fáceis? Você tem sofrido alguma afronta por amor a Jesus?

Reflexão Apostólica:

O saudoso padre Léo certa vez, em uma de suas últimas pregações na TV Canção Nova, contou a seguinte história muito marcante, e tem tudo a ver com o Evangelho de hoje. Ficou grande, mas vale a pena ler até o final e refletir:

“(…) Aí eu tive um sonho que eu morria e chegava no céu! Olha que coisa linda! Quer coisa melhor? E eu cheguei todo confiante, né? Peito estufado… Logo na entrada eu fiquei admirando o portão… Grande… Imponente… Dava até pra ver os anjinhos lá dentro brincando… Ô, que alegria! Todo mundo aqui deve ter conhecido o Padre Léo da Canção Nova… Aqui no céu deve ter uma televisão ligada o dia inteirinho na Canção Nova. A recepção aqui vai ser um espetáculo pra mim… E igual comigo chegou um homem simples, seu Zé, que eu nunca nem tinha visto na vida. Ele me reconheceu:

– Padre Léo da Canção Nova! É o senhor mesmo? O senhor tá diferente, tá até mais bonito! Que bom encontrar com o senhor por aqui!

Mas aí, quando eu ia responder, chegaram os anjos do céu pra abrir a porta pra nós. Quando eles viram seu Zé, fizeram um alarde enooorme!!!

– Seu Zé!!! É o senhor mesmo? Que alegria de ver o senhor por aqui!!! Gabriel, Rafael, vão chamar Pedrão lá dentro que esse aqui ele vai querer receber pessoalmente!!! Entre, entre, seu Zé!!! Sinta-se em casa, fique à vontade!!!

E eu fiquei só olhando aquela cena e imaginando: ‘Quem será seu Zé?’ Enquanto isso a festa continuava, cada vez mais anjos chegando pra cumprimentar seu Zé… E era aquela festa: “SEU ZÉ! SEU ZÉ! SEU ZÉ!” Daqui a pouco chegou um velho barbudo, era São Pedro, que quando viu seu Zé correu pra dar um abraço nele, e agarrava ele e ficava pulando com ele, e todo mundo na maior alegria… E eu lá na porta, esquecido, só olhando e esperando alguém vir me receber, né? Afinal, eu sou o Padre Léo, da Canção Nova…

Mas quando eu pensei que iam me notar, eu vi São Pedro dizendo pra seu Zé:

– Meu filho, venha cá, você vai conhecer o Todo Poderoso agora, que ele já está ansioso pra ver como é que foi de viagem, se você está bem, se foi bem acolhido, venha cá. Você vai ficar hospedado na suíte presidencial, com vista pro mar, TV de plasma, cama King Size, tudo que tem direito! Agora venha que o Homem quer falar com você…

Nisso, quando eu vi que eles já estavam saindo, eu chamei um dos anjos que estavam lá e disse:

– Opa, tudo bem? Eu sou o padre Léo, da Canção Nova…

– Ahhh, padre Léo!!! Como vai? Foi bem de viagem?

– Foi tudo bem sim… É que eu acabei de chegar e vi vocês fazendo a festa aí pra seu Zé…

– Ahhh, seu Zé é mesmo muito querido por aqui!!! Mas, sim, me diga, em que posso servi-lo?

– Bem… é que eu tô chegando agora, né… Pensei, assim, que ia ter alguém pra me receber, mostrar onde é que eu vou ficar hospedado… essas coisas…

– Ah, sim… Eu vou chamar São Pedro aqui, espere aí só um pouquinho…

– Tá bom, tudo bem… Não se preocupe que eu não saio daqui não… Vou ficar esperando, agora eu tenho todo o tempo do mundo…

E nisso o tempo foi passando… 10 minutos, meia hora, 1 hora, 2 horas e nada do homem chegar… Até que 2 horas e meia depois ele chegou sozinho…

– Padre Léo!!! Como é que vai? Que bom lhe receber aqui! Fez boa viagem?

– São Pedro, a viagem até que foi boa, só o que me deixou um pouquinho cansado foi essa espera aqui…

– Ah, meu filho, me perdoe… Mas é que chegou uma pessoa muito querida e aguardada aqui no céu, aí eu fui recebê-lo e levar pra conhecer tudo por aqui, aí já sabe, né… Todo mundo ficava parando pra cumprimentar…

– Pois é, eu cheguei igual com ele… Mas eu nem conhecia ele… É algum artista famoso? Porque eu nunca vi ele na Canção Nova, não…

– Não, não. Ele não era artista famoso, não. Ele era motorista de táxi. Bom, mas agora vou chamar alguém pra lhe levar pro seu aposento.

– Ah, tá… que bom… Tô doido pra tomar um banho e descansar… Onde é que eu vou ficar?

– O lugar que foi reservado pra você é no dormitório 423, beliche 31, cama de baixo, na ala L-12. Lá tem um criado-mudo pra você guardar suas coisas. Seguindo nesse corredor aqui você chega lá. É tudo muito bem sinalizado aqui. Esse anjo vai lhe acompanhar…

Aí eu fiquei surpreso!

– Ô São Pedro… Desculpe a minha ousadia, mas não houve nenhum engano não?

– Não, meu filho. Você não é o padre Léo, da Canção Nova? A gente aqui assistia você. Não perdia um dia do seu programa…

– Pois é… É que eu tava aqui pensando… Eu fiz tanta coisa lá na terra, né? Trouxe tanta gente pra cá… Pensei que tinham me confundido com seu Zé…

– Ahhhh, não… A gente não confundiu, não. Seu Zé a gente também conhecia muito bem… Não tinha como confundir, não… Sabe o que é que acontece? É que seu Zé fez muitas caridades durante a vida inteira dele, mas nunca foi recompensado na terra… Todas as recompensas dele ficaram guardadas aqui no céu… Você também fez muitas obras de caridade na terra, mas já teve recompensa demais!… Toda vez que você ficava lá fazendo as suas pregações e o povo lhe aplaudia, você já tava recebendo a sua recompensa!!!”

Nesse momento, a assembléia não resistiu e aplaudiu com muita força! E foi muito engraçado o desespero do Padre Léo pedindo que parassem de aplaudir!!! Saudoso padre Léo, está fazendo muita falta aqui, e com certeza foi muito bem recebido no céu…

Fica então a lição para nós… que às vezes somos tão carentes de aplauso e aprovação das pessoas… Muito melhor foi o prêmio que seu Zé recebeu. Quem tem fé que existe o céu, a partir de hoje vai preferir guardar a recompensa para lá, que é por toda a eternidade…

     Propósito:

Pai, faze-me solidário com os mais pobres deste mundo, e ensina-me a partilhar, de modo que chegue até eles a esperança e a alegria que Jesus veio nos trazer.


Categorias

%d blogueiros gostam disto: